Seguindo o blog

Postagem em destaque

PERFUME DE MULHER - Soneto

Tu que tens os aromas e as cores Da beleza que invade meu querer Adornada em paisagens de amores Adentrando o oasis do meu ser....

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

TOLO CORAÇÃO - Poema




Quando as luzes da manhã se irradiam,
Dando ás gotas do orvalho tons e cores
Teus sinais, teu perfume, teus sabores
Prenunciam um feliz e novo dia.

Então fico a vigiar teu leve sono
Absorto, a contemplar teu corpo nu.
Entre tantos pensamentos me abandono,
Pois te amo, sem resalvas, sem tabus.

Ah, esse meu tolo coração!
Que se encanta quando vê o teu sorriso,
Me faz crer que eu de nada mais preciso
Quando estou perto de ti, minha paixão.

Então volto-me a ti, a contemplar-te
Teu semblante, tua voz, o teu andar,
Até mesmo o teu mais leve respirar,
São motivos para mais e mais amar-te

Sem voce, me tornaria um ser errante,
Andaria tateando em trilhas tortas.
O destino me levou a sua porta
Que, ao abrir-se, me mostrou a claridade.
Vejo em ti minha completa sanidade,
Por mais louco que eu possa parecer.
Não consigo comtrolar essa saudade
Quando passo um só instante sem te ver.

Me embalo nos encantos dos amores
E me lanço por completo nessa mar,
Como fosse um veleiro a navegar
No imenso oceano do teu ser.
E em tudo que os meus olhos podem ver,
Vejo sempre refletida a tua imagem.
Para mim não existe outra paisagem
Que, de longe, se compare a você.

José Bento

Um comentário:

  1. Muito bonito esse poema!
    Qual coração não fica tolo diante de quem ama?
    É a mais pura verdade. Uma sábia tolice.

    Parabéns!

    Ivoneide

    ResponderExcluir